quarta-feira, 2 de junho de 2010

Um dia de tristeza e muitas lembranças

Estava publicando o post anterior quando a tv me fez silenciar! Agora tia Mabel me ligou pedindo para eu informar aos e-amigos que o corpo de Maria será cremado, amanhã (03/06), as 10 horas, no Jardim da Saudade.

Estou pensando nela o tempo todo e lembrando coisas e pessoas e lugares que Maria é a responsável pelo meu contato com tudo isso: um amor intenso, gigante, transformador, meu primeiro "namorinho firme" como ela disse a uma amiga; o encontro com São Paulo que para quem me conhece sabe da loucura que tenho por esse lugar; a arte, as risadas, a identificação com seu gênio forte; seus livros, suas imagens, seu blog; sua luta.

Se mantive o Monólogos na Madrugada tem uma pontinha de responsabilidade dela também, porque com nossas trocas e seus comentários fui me estimulando a continuar.

É difícil falar em Maria sem pensar em coisas tão profundas em mim. É, hoje está difícil. O clima não está para feijoada. Ela sabe bem o que isso quer dizer.

A epóca do namorinho firme, eu ganhei da pessoa o primeiro cd de Jussara Silveira, madrinha da relação e nele foi gravado Bolero Maria Sampaio, música composta por Almiro Oliveira e J. Veloso. Como um desenho que se fecha, tudo volta a Maria, aliás a Tia Maria, como um dia ela demontrou sentimento porque eu não a chamava assim.


Bolero Maria Sampaio

Adros com lembranças do passado

O que me dá paz

É falar de você

Amigos são parentes que pude escolher

Perdi de vista o bem que eu quero para você

Segui infinitamente em suas saudades

Que você me contou

Oh! Quanto tempo se passou

Agora fazemos nossa história

Eu e você enfrentando o mundo

E sempre juntos estaremos

Pois qualquer distância é menor que o amor

A canção nos leva

A sonhar sem temor


Aqui meu sorriso fotografado por Maria

5 comentários:

Luli Facciolla disse...

Pois é amigo... Nó na garganta, no peito, na alma...

Estarei lá amanhã.

Beijo

Juan Trasmonte disse...

Estarei como sempre estive, na distância

Gerana Damulakis disse...

Nós todos estamos tristes. As palavras me faltam agora.

aeronauta disse...

Edu, esse foi um dia realmente "de tristeza e muitas lembranças" - para todos aqueles que conheceram Maria.

Por que você faz poema? disse...

Maria Sampaio fez parte do júri que escolheu meu livro como um dos vencedores do Prêmio Braskem de Literatura, em 2008, e sempre me acolhia com muito carinho. 2010 tem sido um ano de perdas, mas a lembrança que guardarei será sempre o “não me entrego sem lutar”.