sexta-feira, 18 de junho de 2010

Arrumando as malas... Candoco - Londres

Mais uma vez arrumando mala para viajar, mas essa não é apenas uma viagem. Impossível falar sobre isso sem voltar ao passado, sem pensar em expectativas, sonhos, desencanto, felicidade... tudo junto e misturado.

Em 2003 eu pensei em dar o meu primeiro vôo. Era primeiro semestre e soube que o Candoco estava realizando audição para selecionar novos dançarinos. No ano anterior eu havia feito um workshop com eles em Juiz de Fora e não precisei ir até Londres para ser avaliado, bastava enviar um material com todos os meus trabalhos e curriculo traduzido. Fiz tudo certinho, mas recebi uma resposta negativa. Agradeceram o envio do material, elogiaram, mas naquela época não dava. A partir dai coloquei na cabeça que eu iria para a Europa de qualquer forma. Um ano depois estava eu chegando ao aeroporto de Lisboa a caminho da Ilha da Madeira e delá para a França, Itália e Alemanha para trabalhar, dançar e viver, talvez, a maior experiência de minha vida. Esta é uma viagem referência para mim, todas a partir dela são submetidas a algum tipo de comparação, sem dizer com isso que outras tenham sido menos importantes e melhores.

Lembro que para esta viagem eu fiz uma rifa para juntar algum dinheiro para viajar. Eu rifei alguns trabalhos em miniatura de minha mãe, Dinorah Oliveira, um quadro pintado por mim e recebi de Maria Sampaio seu livro Recôncavo para que fosse mais um ítem da rifa. Além disso me deu uns dólares que ela tinha. Já na viagem, ela me colocou em contato com Miro, em Berlim e eu fiquei hospedado em sua casa, na cidade que mais gostei da Europa.

Para quem não conhece, o Candoco é uma das companhias de dança mais reconhecidas mundialmente pelo trabalho que fazem com múltiplos corpos, ultrapassando o discurso de Dança Inclusiva e se firmou na Dança Contemporânea. Pois bem, este ano recebi um convite desta companhia para passar duas semanas em pesquisa com os coreógrafos Marc Brew e Claire Cunningham.

Acompanhado de meu amigo e professor de inglês Daniel Purcell, amanhã pego o avião carregado de lembranças e ansiedade, me cobrando corresponder as minhas expectativas e confuso com tanta coisa boa, mas que exigem escolhas. Volto daqui a duas semanas e só Deus sabe como eu retornarei.

Peço a Baco, a Deus, a Jeliel, a todos os deuses do sensível e da arte que eu me sinta feliz e realizado. Que eu aproveite ao máximo este trabalho e que Londres me acolha como uma boa anfitriã. Pena que eu perderei a celebração a Maria no dia 03/07, dia do meu retorno.

Até mais ver, Osvaldo! Qualquer dia desses mando notícias do mundo de lá.

6 comentários:

Bípede Falante disse...

Vai ser o máximo!!!
Boa viagem :)

- Luli Facciolla - disse...

"Twinkle Twinkle Little Star
How I wonder what you are
Up above the world so high
Like a diamond in the sky
Star light, star bright
The first star i see tonight..."

Vai brilhar, estrela! Vai brilhar!Eu, daqui vou ficar esperando sua luz pra aplaudir no fim deste espetáculo!

Que a viagem seja tranquila e que as expectativas, superadas!

Good Vibes!

Kisses

Chorik disse...

Boa viagem, sucesso e felicidades mil querido Edu! Vá com Deus!

Gerana Damulakis disse...

Quanta história vc tem para contar.E já vai outra vez. Vc não para, Edu.

Hoje estive aí pertinho, fui comprar um bolinho de tapioca naquela senhora que fica quase na esquina.

clenio disse...

como você sempre faz meu amigo, ARRASA! e se for ficar por lá ... me leve seu Herode kkkkkkkkk
bjuuuuuu

Lindaura disse...

Du, meu anjo. Que deus te ilumine e te abençõe sempre como ele vem fazendo. Sucesso!!!