quinta-feira, 10 de junho de 2010

Teatro Jorge Amado


Lembro que a primeira vez que pisei num palco de teatro foi No Jorge Amado. Eu já havia me apresentado em palcos alternativos, praças, mas teatro, teatro mesmo foi no Jorge Amado.

O Teatro sempre foi para mim um lugar sagrado, um templo que exige respeito e um espaço generoso onde tive a oportunidade de ser o que sou. Então, estar ali, naquele momento era como pisar num lugar sagrado, pedi licença, como faço até hj, pedi que os deuses do teatro e da dança me abençoassem e dancei com o coração aos pulos por estar realizando um sonho de menino.

Agora o Teatro Jorge Amado vai ser leiloado e esta notícia abalou toda a classe artística que assiste mais um espaço do fazer artístico indo para outras mãos que provavelmente não darão continuidade ao grandioso serviço prestado a arte baiana e brasileira ao longo desses anos todos de funcionamento.

Segue abaixo uma convocação a população soteropolitana para a Virada Cultural do Jorge Amado. Peço que leiam com atenção, mesmo que não tenham interesse em ir ao evento, mas vejam o que a cidade e todos nós perdemos se algo não for feito para recuperar este teatro.

Estamos nos aproximando do dia de entrega do TJA à Desenbahia. Embora estejamos negociando com ela e com a SECULT uma condição especial de funcionamento até dezembro, respeitando sua pauta, o imóvel irá a leilão a qualquer tempo e logo será público que trata-se de um leilão aberto a qualquer participação, o que significa que o teatro corre o risco de desaparecer caso o adquirente não tenha interesse em mantê-lo como equipamento cultural.


De 1997, ano de sua inauguração, que contou com a presença dos três grandes amigos, Jorge Amado, Calasans Neto e Caribé, até 2009, o TJA realizou 3.764 apresentações de eventos culturais e recebeu um público de 1.017.729 pessoas. Somente em 2009 foram 373 apresentações, ou seja o teatro funcionou a todo vapor o ano inteiro.

Como se sabe o Teatro JOrge Amado é um equipamento cultural que dispõe de uma caixa cênica da melhor qualidade, sendo um dos poucos teatros de medio porte de Salvador, com várias móveis, pé direito altíssimo, ciclorama e dotado de uma acústica que permitiu, ao longo desses anos, inúmeras gravações de CD e DVD dos mais variados artistas além da preferência de muitos espetáculos cênicos de qualidade vindos de outras praças, por finalmente não precisar submeter-se ao imenso palco/platéia do TCA, respeitando assim a excelência de nosso teatro oficial para espetáculos e shows de grande porte.

O Teatro Jorge Amado trouxe ao público de Salvador a possibilidade de assistir a temporadas de espetáculos em tournée nacional para além de um único final de semana no TCA, e tambem possibilitou aos artistas locais a permanência em cartaz por alguns meses, contribuindo assim para a profisionalização de produores, diretores, atores e técnicos baianos, que antes disputavam pautas mínimas na Sala do Coro e no Teatro ACBEU (hoje também fechado).

Os Cafajestes, Volpone, O Vôo da Asa Branca, Vixe Maria Deus e Diabo na Bahia, O Indignado, Todo Mundo Tem Problemas Sexuais, Bolero, Na Bagunça de Seu Coração, Lábaro Estrelado, Bodas de Sangue, Dom Casmurro, Esperando Godot, Mulher Popular Brasileira, Bastidores do Carnaval, Eternamente Braguinha, Divorciadas, Evangélicas e Vegetarianas, Como Raul Já Dizia, Nada Será Como Antes, Setembrina, Comédia do Fim, A Falha, 1,99 , E Aí, Comeu? , Album de Família, Atire a Primeira Pedra, A Bofetada, Intimidades Sem Censura, A Princesa e o Únicornio, História Cantada, Abismo de Rosas, Pluft o Fantasminha, Do Outro Lado do Muno, O Mágico de Nóis, Um Dia Um Sol, Na Lua, na Rua, na Sua, O Mágico de Oz, Histórias Mimadas, O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, O Lixo é um Tesouro, Pedro e a Cobra de Fogo, O Mistério de Feiurinha são exemplos de espetáculos baianos que cumpriram longs temporadas no Teatro Jorge Amado, que também recebeu muitos shows e eventos culturais como as várias edições do projetos Terça do Jazz, Viva Voz, Nossa Língua Portuguesa - o Baianês, de sua produção propria e também shows memoraveis de Saul Barbosa, Noeme Bastos, Rebeca Mata, Margareth Menezes, Roberto Mendes e seus encontos musicais, Gerônimo,e Luiz Caldas em temporada, Mariene de Castro, Vânia Abreu e Vanessa da Mata, antes de estarem prontas a assumir o TCA. E a Orkestra Rumpilezz que fez deste palco sua casa urante 6 meses em 2009.

Dos muitos espetáculos do eixo Rio-São Paulo que investiram em temporada no TJA podemos lembrar O Ignorante, de Pedro Cardoso, A.M.I.G.A.S de Luana Piovani, As Sereias da Zona Sul, de Miguel Falabela, O Grelo Falante, Juca Chaves em diversos espetáculos, Benvindo Siqueira, Chico Anysio, Doce Deleite, com Reinaldo Gianechinni, Bonifácio Bilhões, com Benvindo Siqueira e Jorge Dórea, Rossicléia, da comediante cearence, 7 Conto de Luís Miranda. Artistas que vieram para ficar mais de um final de semana, apostando na praça de Salvador e querendo aproveitar da fama que já corria em outros estados sobre o sucesso dos espetáculos baianos junto ao público local.

O Teatro Jorge Amado trouxe opção de lazer cênico a uma população que estava mais distante do centro da cidade, inclusive à região metropolitana do litoral norte. Tornou-se referência entre as escolas de ensino fundamental e médio que passaram a investir mais nos espetáculos amadores de seus alunos, desenvolvendo neles o gosto pelas artes cênicas e a criatividade. Possibilitou a retomada dos "projetos a Escola Vai ao Teatro", ampliando o mercado para as produções de espetáculos infantis locais e formando entre crianças da pré-escola os futuros fruidores de arte dramática.

Abriu espaço para que seminários e eventos corporativos pudessem agregar espetáculos teatrais a suas realizações, ampliando mais uma vez o mercado dos artistas profissionais da Bahia. E finalmente pode manter a tradição dos eventos anuais das escolas e companhias de dança locais, que passaram a investir em espetáculos cada vez mais caprichados para a apresentação de seus alunos.

Este é o teatro que corre o risco de fechar suas portas e 2010, tornando Salvador ainda mais pobre em suas realizações culturais.


POR TUDO ISTO CONVIDAMOS A POPULAÇÃO DE SALVADOR, SEUS ARTISTAS DE TODAS AS LINGUAGENS, SEUS TÉCNICOS, SEUS PRODUTORES, EMPRESAS PATROCINADORAS E A IMPRENSA DE MODO GERAL A PARTICIPAR NO DIA 18 DE JUNHO, A PARTIR DAS 10 hORAS E DURANTE TODO O DIA, DO EVENTO DENOMINADO MOVIMENTO VIRADA CULTURAL - PELA PRESERVAÇÃO DO TEATRO JORGE AMADO. PARA QUE ESSA CASA CONTINUE SERVINDO AOS BAIANOS, PARA QUE NOSSOS GOVERNANTES ENCONTREM OUTRA FORMA DE SER RESTITUÍDO O CAPITAL TOMADO DE EMPRÉSTIMO AO DESENBANCO (HOJE DESENBAHIA), SEM QUE O TEATRO DEIXE DE EXISTIR ENQUANTO EQUIPAMENTO CÊNICO DE NOSSA CIDADE!
TODOS AO TEATRO JORGE AMADO NA SEXTA FEIRA 18/06!!!


Iara Colina
atriz, diretora teatral e produtora cultural

3 comentários:

lucidreira disse...

Pois é, nós baianos já com poucas opções de espaços culturais ficamos a mercê dos donos do dinheiro, que no caso é o Desenbahia, o governo deve tomer sim uma atitude de governo do povo, "Bahia terra de todos nós" e resolver o impesse, estamos todos a espere de uma solução para menter o TJA em seu pleno vigor.
Abraço

dade amorim disse...

Não é só a Bahia, mas todo o Brasil é carente de cultura. Não se pode perder um teatro como o Jorge Amado.
Um abraço, Edu.

clenio disse...

que se faça a justiça para esta VIRADA para que não se perca mais um espaço cultura, mais um pedaço da sensibiliade brasileira, mais um charme de seus costumes. justiça ao TJA. vou ficar aqui na torcida.
Parabéns a todos os baianos e principalmente a Iara colina pelo claro e poderoso discurso. evoé!