segunda-feira, 7 de junho de 2010

Arruda e salsa São Cipriano

Quem escolhe a arte para viver só pode ser muito descarado. Depois que escrevi o post "Apertado de costura" fiquei martelando coisas na minha cabeça. Se fosse em outra área eu conseguiria comprar pelo menos um carrinho novo. Vendo minha agenda anual aí do lado me dá mais tristeza ainda. Se fosse num país que respeitasse seus artistas, tenho certeza que daria para comprar uma casa, ter tranquilidade financeira.

Aqui não. Conversando com um amigo taxista, chegamos ao assunto dos convites para "divulgar seu trabalho". Não conheço nenhum profissional que aceite convites simplesmente com a divulgação como pagamento. Artista, coitado, paga para trabalhar.

Não lembro de ter parado um táxi e pedir uma carona a fim de divulgar o trabalho do motorista. Nunca fui a um oftalmologista para sair sem pagar e ele feliz aceitasse apenas a divulgação de seu consultório. Médico, faxineira, advogado, pedreiro, dentista, arquiteto... nada. Lógico que temos amigos que nos oferecem serviços e seu tempo e se disponibilizam a nos ajudar, mas falo de convites profissionais que a pessoa já vai avisando: "não temos dinheiro, mas é bom para você divulgar seu trabalho". A gente fica até sem graça, ne?

E as iniciativas de incentivo a cultura e a arte? Eles nunca concordam com os valores que colocamos para os profissionais, acham abusivos, altos, absurdos. Ora, para realizar um projeto precisamos contratar profissinais tamrimbados, qualificados, de acordo com a necessidade de nossos projetos. Eu mesmo sempre tenho vontade de pagar bem a quem convido para meus projetos, mas sempre sou obrigado a diminuir os valores, quando não repetir o tal "divulgar seu trabalho por enquanto, no próximo teremos dinheiro" (o que me enche de vergonha) e esperando que no próximo realmente consiga pagar a todos que fazem o projeto acontecer.

Estamos realizando, a zero real, o Encontro de Dança Inclusiva, conseguimos alguns apoios importantíssimos, mas nenhum podia pagar os cachês dos convidados, muito menos a equipe organizadora que está há meses trabalhando em função do evento.

Só gente descarada inventa um evento desse porte sem dinheiro e ainda convida os outros, né não?

Enfim, estou falando tudo isso porque ao relatar todas as atividades que estou envolvido, ouvi de pessoas próximas que os outros poderiam pensar que eu estou recebendo muito, ganhando bastante, inclusive em moeda estrangeira e que isso poderia gerar inveja, olho gordo, e eu não deveria sair falando assim.

Xocotô!! Arruda e salsa São Cipriano!!!!!

Antes fosse, mas ainda não consegui me acalmar toda vez que vejo correspondência passando embaixo da porta. Tremo nas bases para abrir os envelopes e ver o tiro que receberei e torcer para o dinheiro de algum trabalho suprir as necessidades. Também não quero chorar as pitangas, estou apenas jogando a real.

Mas tudo mudaria se eu de repente atacasse Cauã Reymond (se é para aparecer que seja com o mais belo dos belos), beijasse aquela boca (que boca!) e aparecesse na TiTiTi, Quem, Contigo.... Bombasse nos programas sensacionalistas e recebesse convite para a GMagazine ou o BBB, falasse besteira atrás de besteira, mostrasse o quanto sou burro e alienado. Pronto, acho que encontrei a fórmula para comprar minha casinha com garagem para colocar o carrinho que tanto preciso comprar.

Se alguém souber o telefone, msn, orkut, facebook, twitter verdadeiro, endereço de Cauã, por favor ajudem esse artista que vos fala a divulgar o seu trabalho. Não custa nada, né? E sei que Grazi vai entender do que eu estou falando.


Eis o responsável por me dar casa, comida e roupa lavada.

Eu também sou filho de Deus. Se não ganhar nada, pelo menos matei a vontade que me consome. hahahahhahahahahaaa

8 comentários:

Rose de Paulo disse...

Amigo, até eu, boba que sou adoraria isso!! E olha q nem sou mto atraida assim...rsrsrs
Mas a realidade da sua questão neste texto é "f..." mesmo! E nós produtores que temos que ganhar do artista?? Pq o produtor tbm trabalha e para o artista..caraca é uma rede, dos sem grana, sem fim!
Bora beijar as bocas mais deliciosas do mundo para pagarmos as tais contas! Pq na imbecilidade dos meios de comunicação, real/ só fazendo isso mesmo!

Bjos e q vc consiga tudo o que precisa!

clenio disse...

e é isso mesmo, no final o que resta de melhor são as orelhas, a boca, o pescoço, os pelos .... kkkkkkkkkkk
ah, é um abuso o que está ocorrendo com a classe, mas não vamos desistir. nem tô a fim de ser comparado a k7, vinil e VHS. querendo ou não querendo nosso corpo acompanha o tempo, e enquanto o meu menor músculo se mover, estarei dançando. estaremos!
te amo meu amigo lindoooo

Tania regina Contreiras disse...

Bem, é verdade, tem toda a razão no que diz, mas, meu amigo, com todas as dificuldades, ser artista, ter alma de artista é um presente divino, viu? Torcida não paga conta, mas torço para que o reconhecimento sempre venha, em forma de sensibilidades e...de grana, claro!
Abraço,
Tânia

Fernando L disse...

GSUIS

Com um desse eu nem preciso de roupa, vivo nu usando ele de cobertor e me contento com um puxadinho e um colchonete, HAUHAuAH

Indo a sério, é foda isso, tanto que tenho pensado muito, mas muito mesmo em danças vendáveis, enquanto negócio mesmo

Tomara que me venham idéias antes de chegar mais conta por baixo da porta x.x

Gerana Damulakis disse...

Tânia já disse tudo.

glaucia lemos disse...

Passei aqui para conhecer, Edu. você é muito inteligente, acho que não o conhecia ainda porque operamos em áreas de arte diferentes, mas gostei de ler suas coisas no seu blog. Aplausos. Já sabia do seu talento pelo livro de "Judite', mas adulto também você é muito bom. Mais Sucesso, amigo! Beijo. Gláucia

Chorik disse...

Eu realmente brinquei sobre você faturar uma grana, ciente que, na real, a coisa é bem diferente. Talvez não tenha saído no tom exato.

Abração Edu.

Chorik disse...

Vixe, que confusão. Deve ter dado pau no comentário e eu achei que você tivesse deletado por ter ficado chateado. Obrigado Edu.