domingo, 13 de julho de 2008

Coisa e tal

Há uma coisa bacana
Nessa tal de história de amor:
A criatividade com que as pessoas amam
Descascam banana
Esperando encontrar filé mignon
Inventam sofrimento,
Criam traição,
Sofrem com a demora na espera
E jogam culpa no coração
Se o telefone não toca,
Se passam o Sábado assistindo televisão,
Taí o coitado sofrendo apertado, xingado
Porque a cabeça do dono
Já inventou mil e uma situações
É um tal de choro no banheiro
(resfriado de quem está só!)
é uma tal de música de corno no chuveiro
E simpatias para segurar “ocó”
O coração é tão mais simples que a cuca
Só faz sentir
E quando cansa parte para outra
Mas a mente, não, essa maluca!
Mesmo depois do sentimento esgotado
Do relacionamento acabado
E de já ter “varrido” a cidade
Reencontra o ex
E vem a tal da possessividade
Quer logo reconquistar
Mesmo que seja para deixar
Ou diz que está com ciúme
E tem vontade de matar
Bebe para dar vexame
Veste-se toda vulgar
E quando o outro se aproxima
Faz logo um enxame
E pede que vá embora
E manda largar

A cabeça que ama
É atriz mexicana
Só sabe mesmo chorar

5 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

Edu,
quem nunca passou por tal situação é porque não viveu. Mas pouca gente escreveu tão bem sobre a dita cuja.
Beijos Maria

Maria Paternostro disse...

Edu, sou prima de Maria Sampaio, Miro e Bernardo (coloquei por ordem alfabética inversa). Sempre leio o seu blog, mas hoje resolví me apresentar. Um abraço

Edu O. disse...

Duas Marias!!!! Que beleza que fica meu cantinho!!!

Obrigado a Maria e a outra Maria que é prima da primeira. Vc que se apresentou agora, fique à vontade e venha sempre que puder. Minha Maria já é de casa!!!

Maria Paternostro disse...

Pois é, voltei. Agora que fui bem recebida posso deixar meus comentários. Um abração

Anônimo disse...

Se dizem que quem nunca passou por isso é porque nunca viveu, então eu estou mais vivo do que nunca!
rsrs

abraços edu.
Rafael