quarta-feira, 14 de abril de 2010

A volta do rei


Oh chuvinha bonitinha
você aqui não é rainha
tenha pena de meu povo
ouça o que há dias eu falei
vá embora
fique quietinha
devolva o trono ao rei


Minha Sto Amaro está passando por momentos tristes com a cheia do Subaé. Como rezou tia Mabel: Minha Nossa Senhora da Purificação rogai por tudo que tudo é teu. Tenha cuidado com teu povo, com os que estão sofrendo agora. Manda a chuva embora porque o espetáculo dela já não tem mais graça, já passou do tempo, já ultrapassou os limites.

4 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Já não tem mais graça mesmo.

Janaina Amado disse...

Xô chuva!
Esse aguaceiro tá parecendo fim-de-mundo, que coisa!

Bernardo Guimarães disse...

já falei com uns amigos meus, e eles ficaram de mandar essa chuva pra caatinga, que lá tão carecendo dela.

Por que você faz poema? disse...

Quando a água alcança o meu peito, o quadro da minha sala, a parede da minha alma, não é mais o poeta quem chove.