quinta-feira, 15 de abril de 2010

7º confissão para Odete - Salvador, 15/04/2010


Nesta semana não houve encontro, nem confissões, nem nada. O término dessa temporada está chegando e começo a sentir um esvaziamento como um pote de leite derramando, a água de chá evaporando, o pacote de biscoito terminando... Pensei em meus perfumes e como os mantenho cheios e eles fixam em meu corpo, minha pele e se tornam meus cheiros e de como eu herdei o cheiro de outro e de certa forma o trago também em mim. No cheiro, no gosto do seu sexo em minha boca, na lágrima salgada entrando pelo nó da garganta na despedida.

Estou com gosto de chuva na língua, diferente do gosto da ressaca do mar lá na Vila de Sto Antônio quando um príncipe me pegou nas costas, subiu as dunas e me mostrou seu planeta asteróide em frente ao mar. Novo gosto de sexo na boca. Lágrima e mar são salgados. Provei desses dois sabores: a lágrima de despedida e o mar do encontro.

Encontro... essa é a palavra de ordem.

Que venham outros encontros em outras temporadas. Que haja encontro constante com o público. Que haja encontros pela vida!

Obrigado a todos que eu encontrei aqui neste ovo de codorna chamado mundo .

3 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Completo:" a lágrima de despedida e o mar do encontro". Linda imagem, Edu.

Lucas Valentim disse...

q lindo amigo
q venham
os encontros então
foi estar com vc

I.Moniz Pacheco disse...

Os encontros e desencontros fazem parte, mas esse seu texto está maravilhoso!