quinta-feira, 29 de abril de 2010

O menino assassinado (blog do Fala Menino)

Sou admirador das tirinhas Fala Menino e soube ontem que elas não serão mais apresentadas no jornal A Tarde. Confesso que era a primeira coisa ia ver ao pegar o jornal. Eu gosto de me presentear poesia.

Triste notícia, mas não mais triste do que a que está exposta lá no blog dos Meninos http://blogfalamenino.blogspot.com/2010/04/o-menino-assassinado.html . A morte de Ijácio, jovem assassinado por policiais em Salvador.

Esse trecho do texto que estáno blog Fala Meninome emocionou demais: Eunice Mendes, professora de escola pública, que teve um aluno assassinado também pela polícia, na mesma semana disse, maravilhosa e tristemente, para os jornais: "Quando matam uma pessoa do bem, os jovens que estão na criminalidade pensam: Ele era bom e morreu do mesmo jeito."

Vivemos num tempo de constantes contrastes emocionais. Acorda-se bem, dorme-se intranquilo, acorda-se esperançoso, vive-se triste, dorme-se alegre.... tudo ao mesmo tempo agora. Realizações pessoais sobrepostas de mazelas dos irmãos que se transforma m em nossas e assim vaos seguindo. Eu não conhecia Ijácio, nem precisava conhece-lo para ser afetado por esta barbaridade.


FOME


Vê?!
Olha aquele homem!
Não, assim você não vê!
Olha para frente, menino!
Encara tua verdade!
É aquele
No meio daquela multidão
Ele está caindo
Ele está nu
Só queria um amor,
Uma roupa para aquecer seu corpo
Franzino e esquelético
Somente amor, imagine!?
Comida para seu coração
Raquítico e atrofiado.
Socorre ele ali, menino!
Corre para ele ali!
Ah! Deixa pra lá!
Ele caiu
Caiu de fome
Caiu de frio

3 comentários:

Cléa disse...

Tomei conhecimento do episódio por você. Não pude também deixar de escrever.
No turbilhão de emoções cotidianas, somos assaltados pela realidade que nos arrebata e fere. Mas só a quem ainda tem os olhos abertos. Ainda bem que você tem!
Meu amor de sempre...

Gerana Damulakis disse...

Cada história desse tipo leva um pouquinho de nós mesmos.
O poema é muito bom, quanta verdade ele traz.

I.Moniz Pacheco disse...

Essas notícias são como um soco no estômago.