quinta-feira, 15 de julho de 2010

A mudança

Resolvi trocar de casca, mudar a pele, arrumar o guarda-roupa. Como quem corta o cabelo indicando que algo mudou por dentro, mudei a cara dos meus blogs, aqui o Monólogos e também do Corpo Perturbador http://ocorpoperturbador.blogspot.com// , fui bisbilhotando nas gavetas do meu computador e encontrei este texto em que escrevi há bastante tempo com o nome A Mudança. Achei apropriado publicar hoje.

Pode ir que eu ainda não me arrumei
Nem sei o que vou levar
Eu me atrasei
Precisei me buscar
Não podia ir, assim, sem saber de mim!
Se quiser ir, vá!
Eu prefiro assim
Aí dentro está faltando tanta coisa!
Você deve estar esquecendo quase tudo
Só vejo coisas supérfluas, inúteis,
Futilidades mesmo!
Se tiver tanta pressa, vá indo à frente
Que eu vou mais tarde
Agora, se quiser ficar, por favor, faça silêncio,
Tenho que pensar em mim
Tenho que lembrar do que está faltando
O que é que você está fazendo na frente desse espelho?
Eu te disse que você estava esquecendo alguma coisa,
Mas não é no espelho que a gente se acha, não!
Isso é só uma ilusão, um reflexo...
Na verdade a gente nunca se vê
Eu nunca saberei do meu rosto
É uma pena!
Nunca verei meu sorriso, meu olhar...
Qual a medida exata do que sinto
E do que deixo transparecer
Talvez “nunca” seja um exagero
Talvez a morte seja para isso
Seja o momento em que nos vemos de cara,
Nos encarando, nos questionando...
Por isso tenho medo,
Porque me idealizo de uma forma
E será doloroso, depois de passar a vida toda pensando assim,
Decepcionar-me no final
Você ainda quer que eu vá sem saber ao certo o que levar?
Não. Quero estar consciente do peso que tenho que carregar
Toda mudança é mais ou menos como uma morte
É uma história que se encerrou
Outra que está apenas começando
Quando eu fechar essa porta pela última vez
É nossa história que acaba
Outra recomeça quando alguém abri-la novamente
O final deveria ser sem dor, sem rancor...
É apenas o final:
Não se anula o que passou, os momentos bons ao teu lado...
Não apaga os livros, os cheiros, as músicas...
Não devolve os presentes,
Não queima as fotos, as cartas,
Não dissolve os beijos.
É apenas um pôr do sol sem mais alvorada!
É um ocaso prolongado chegando,
Porque o sol cansou da rotina de acordar ao teu lado.
Desfrutaremos apenas da companhia da lua e das estrelas
Daquele friozinho de noite na barriga toda vez que lembrarmos de nós.
É a felicidade de estar livre misturada a uma certa nostalgia
E a saudade dos beijos
É necessário sabermos o momento certo de partir
Partindo corremos o risco de voltar,
Partindo corremos o risco da descoberta, do novo...
Partiremos agora.

E esse ônibus que não chega!
De onde ele vem?
Nós viemos e não sabemos de onde.
Ah! Viemos daquela porta que se fechou!
É um erro, mas geralmente nos esquecemos das portas fechadas.
Trancamos e jogamos a chave fora por medida de segurança
Que tolice, não é necessária a tranca!
Mesmo voltando não seria mais a mesma chave,
Porque é óbvio, não seria mais a mesma porta.
Ih! Eu esqueci um bocado de entulho lá dentro!
Coitado de quem entrar lá,
Sairá tropeçando num monte de segredos!
Encontrará vários fantasmas, além dos que trará.
Engraçado, essas pessoas tão apressadas, ansiosas...
Carregam sempre mais do que precisam
Assim como você.
E eu que deixei tudo lá!
Era peso demais.
Muitos erros, mágoas, palavras impensadas, muito choro.
Era muita coisa!
Só trouxe de volta uma criança que encontrei escondida debaixo da cama.
Estava brincando, fugindo do bicho-papão que acordou!

Esse não é o teu ônibus?
Corra, você tem tanta pressa...

5 comentários:

Chorik disse...

Peguei você ainda ajustando a nova casca. Eu amei o texto, muito bom, falou de emoções universais e sempre atuais.

Por que você faz poema? disse...

Mudar é, sempre, necessário.

- Luli Facciolla - disse...

Acho que vou arrumar minha bagagem tb! A hora tá chegando e não tem nada pronto...

Beijoooo

I.Moniz Pacheco disse...

Mudar é sempre bom, mas as vezes dói tanto...

Juliana Wanderley disse...

Vc acaba de me emocionar... aliás, vc sempre faz isso em mim quando venho aqui!
Adoooooooro!!
Sou fã!