terça-feira, 23 de novembro de 2010

Par de sapatilhas

de Bípede Falante

Tu ignoras os meus contornos e os meus movimentos e não me eleges tua primeira bailarina e, mesmo assim, me descortinas com esse teu sopro de palco e tu ignoras a razão do meu suor e o confunde com cansaço e me pensas exaurida porque tremo e porque tarda a hora e eu, tonta e descompassada, não termino a coreografia porque o que me prende e transpira não é a dança nem a água, e, sim, a tua presença sobre esse par de rodas que giras feito um planeta em direção a um outro par de sapatilhas.

Microconto escrito para O Corpo Perturbador

Amei este conto porque vi muito de mim ali. Bípede disse que pensou na minha dança. Pensou e fez lindamnete.

2 comentários:

Bípede Falante disse...

Edu, você é tão querido :)
beijos...

Chorik disse...

Quanta poesia há nos olhos da bípede! Seus porquês me encantam.