quinta-feira, 7 de abril de 2011

Eu rasgarei os papéis caso você não chegue

Passei a madrugada desenhando a carvão em papel timbrado de amor. Mapas para nossos encontros, caminhos de teu corpo, teu rosto, corações flechados voando em metrópoles e flores em asfaltos verdes como em Rio de Contas. Foi pensando em você que o dia amanhaceu em tons de cinza claro e depois azulejou dourado de sol.

Neste dia tenebroso que esconde um infinito futuro escuro além desse turquesa, escrevi em papel de boca teu nome, telefone, endereço, email.... coloquei teu peso, idade, estatura... nacionalidade, livro preferido, alergias e canções. Rabisquei flores de bem-me-quer, bem-me-quer, bem-me-quer......

2 comentários:

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


COMPARTIENDO ILUSION
EDU

CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...




ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE CHAPLIN MONOCULO NOMBRE DE LA ROSA, ALBATROS GLADIATOR, ACEBO CUMBRES BORRASCOSAS, ENEMIGO A LAS PUERTAS, CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER ,CHOCOLATE Y CREPUSCULO 1 Y2.

José
Ramón...

Chorik disse...

Sabe, meu amigo, ando precisando muito de uma paixão assim, avassaladora...