quarta-feira, 8 de julho de 2009

Minha Nossa Senhora de Lourdes da Silveira Mader

Novela Top Model (o top para mim)

Nunca soube explicar direito o fascínio que ela me causava. Tentando simplificar a explicação, já que amor não se justifica, se ama e pronto, eu dizia que era como um amor por Nossa Senhora. Amor sem carne, sublime, delicado demais. Não a conhecemos, mas sabemos que ela está lá, vemos sua imagem e isso nos desperta algo de bom. Sempre foi assim Malu Mader em mim. Sei que estou grandinho para cultivar ídolos juvenis, mas fazer o que?

Novela O Outro (Glorinha da Abolição) aqui que tudo começou


Uma beleza que me tocava e me me trazia desejo de uma vida melhor. Aos 13 anos assisti a uma peça com classificação para 18 e as aparições dela no palco eram como revelações de segredos da humanidade, como Fátima para as 3 crianças. Assistia a tudo que ela fazia contando na agenda os capítulos que perdia, comprando nas bancas as resvistas e os jornais com fotos ou notícias sobre ela. Faltava aula assistindo na secretaria da escola a reprise de Fera Radical, fazia maluquices para não ficar sem minha Malu. Antigamente me chamavam de Edu Mader. Quem aguenta?!!!
Nas incertezas de adolescente pensei em ser padre, Malu me salvou, porque eu tinha medo que não cuidassem de minha coleção como eu cuidava e deixassem traça, cupim, baratas comerem aquelas imagens que pareciam santinhos.

Todas as vezes que a encontrei eu tinha receio do encanto acabar, de me decepcionar com grosseiria ou qualquer esnobismo. Não, nunca. Sempre me acolheu com carinho e respeito. Viu minha coleção, autografou e brigou com uma coleguinha que reclamava de eu estar sendo incoveniente. "Não está não. Isso aqui é meu e eu estou adorando" ela respondeu em minha defesa. Coitada daquela mulher que finge para os outros o que não é, enquanto Malu surpreende pela humanidade.

Gosto dela por ser humana em capa de dinvindade. Numa entrevista dizia que o que sabia fazer de melhor era namorar. Invejo o homem que tem esta mulher. Depois mostrou-se mãe exemplar e uma fortaleza nos problemas de saúde.

Ahh não sei, hoje me deu vontade de falar sobre amor, beleza e esperança. Falei de Malu!

Novela Fera Radical (confirmação de tudo)
Filme Belline e a Esfinge (o verbo fez-se carne)

5 comentários:

aeronauta disse...

Texto lindo, Edu. Profundamente delicado e humano.

Gerana Damulakis disse...

Também gostei. Bacana demais.

Luli Facciolla disse...

Lindo Edu!
Também sou fã da Malu!
Não a número 1. Isto, deixo pra vc! rsrsrsr

Beijos, meu querido!

Lidi disse...

Adorei o texto, Edu! Um abraço.

L. Bastos disse...

Ai amor, ai!!!!!!!!!!!!!!!