sexta-feira, 20 de julho de 2012

Todo mundo é dentro

Nunca achei muito saudável alguém que se orgulha de dizer que não enche uma mão para contar os amigos que tem. Eu, ao contrário, encho as duas, os pés, o nariz, o queixo, o peito, as pernas, o pau, a bunda, as costas... encho o corpo todo e ainda assim falta espaço para contar os amigos que tenho. Todos são alicerces que me sustentam na vida, nesta loucura que chamamos mundo. E que bom ter feito esses parceiros pelos cantos do mundo e deixar saudade e viver de saudade... cada um tem uma qualidade, uma tônica, uma forma de ser. Uns mais próximos, outros mais distantes e tem aqueles eventuais e que são tão importantes quanto os primeiros. às vezes os primeiros se tornam eventuais, desaparecem e reaparecem.... é vida, é ciclo, é maré sempre cheia que precisa esvaziar para retornar mais forte. outros nem voltam, mas as lembranças e as experiências compartilhadas são eternas. Tudo isso é para agradecer por não ser só no mundo, por ter vocês por perto. Não poderei citar nomes para não correr o risco de deixar alguém de fora. TODO MUNDO É DENTRO!!!!

Um comentário:

Por que você faz poema? disse...

Eu conto quantos amigos eu tenho
nos dedos das mãos...

... da torcida do Baêa.