domingo, 27 de maio de 2012

Terra de Gigantes - trilha de domingo



No Canal Viva tem passado todas as noites o programa Globo de Ouro, relembrando sucessos dos anos 80. Podemos rever Kátia, Joana, Emílio Santiago, Luis Caldas e tantos outros que faziam a trilha sonora daquela época.

Neste programa, diferente do formato de agora, eles fazem uma seleção das músicas mais tocadas na semana (lógico que era uma farsa) e apresentam as 10+. Estive pensando em quais seriam as minhas 10+. Tarefa impossível porque há muitas músicas em momentos diversos da minha vida, decidi então fazer um exercício e buscar (tentar pensar) as 10 mais tocadas em meu aparelho de som, em variadas épocas e tentarei publicar aos domingos a minha trilha sonora. Como um registro e um panorama sonoro. Brincar com memórias e pensar em situações.

A primeira música é Terra de Gigantes, da banda Engenheiros do Hawaii, um dos inúmeros sucessos do disco A Revolta dos Dândis, lançado em 1987. A primeira lembrança que tenho desta música é do período de escola, aos 13 ou 14 anos, quando eu ia para a casa de Paula estudar e ao invés disso colocávamos o LP dos Engenheiros e ficávamos deitados na sala ouvindo e fazendo planos, falando de amores, rindo de besteiras nossas e tomando bronca da mãe dela porque não estudávamos. Ali nossa amizade se fortaleceu. Paula é uma das minhas maiores referências e hoje, é em sua casa, onde eu me sinto mais a vontade quando não estou na minha. A segunda lembrança de Terra de Gigantes é de uma viagem, excursão que saiu de Sto Amaro-BA até Foz do Iguaçu-PR. Uma viagem cheia de surpresas, ônibus quebrando em beira de estrada, cantoria durante o trajeto, hotéis, muita risada. Me apaixonei por uma menina que viajava junto, mas ela ficou com o mais bonito da turma. Eles ouviam esta música abraçados na poltrona atrás de mim. Eu parecendo cachorro olhando frango rodar, me debruçava no enconsto de onde eu estava sentado e observava os dois namorando. Eu fingindo conversar com uma amiga que estava ao lado deles, ria por fora e me dilacerava por dentro. Lembro do sabor de pera verde. Das prostitutas na praça de Porto Alegre. Da primeira vez que fui ao Rio de Janeiro e não vi o Cristo.

É impressionante como música marca um período, um momento em nossas vidas. Ao ouvi-la somos capazes de retornar no tempo e ter lembranças nítidas do que aconteceu, de pessoas importantes, de lugares e até cheiros.

2 comentários:

Por que você faz poema? disse...

Não tenho perdido nenhum, minha memória afetiva agradece. Mas, ao contrário do que podem imaginar, me divirto mais com a presença de Patrícia, Gabriela ou dos Abelhudos (quem?).

Bípede Falante disse...

Mil anos que eu não a ouvia!!!
beijoss :)