sábado, 9 de outubro de 2010

Samba Chula de Santo Amaro

Sô funcionário da Leste
Sô maquinista do trem
Vou me bora pro sertão
Eu aqui não me dou bem

Oh viola meu bem
Oh viola!!!

Nunca consigo ficar longe das coisas de Santo Amaro. São Braz é um distrito de minha terra, um lugar que eu gosto muito por tudo que produz: as muquecas, a gente, o Nego Fugido e também o Samba Chula.

Soube hoje que até amanhã (10/10)  podemos votar no grupo Samba Chula de São Braz, que está participando de uma seleção nacional feita pelo site http://www.voaviola.com.br/ , em que participam grupos e violeiros de todo o Brasil, e tem como objetivo escolher os artistas mais votados para fazer shows em capitais brasileiras.

O Samba Chula de São Braz é um grupo musical representante da cultura popular da Bahia, que cultiva o Samba de Roda Baiano, e suas modalidades como o samba corrido, o samba chula, o samba de viola, e as rezas regionais. Seus integrantes são filhos e moradores da pequena localidade de São Braz, distrito de Santo Amaro da Purificação, e fazem uma ponte entre a cultura popular local e o trabalho musical profissional. O Samba Chula é uma das músicas mais representativas da região do Recôncavo da Bahia, e foi coroado pelo IPHAN e pela UNESCO em 2004-2005 como Patrimônio Imaterial do Brasil e da Humanidade. Em sua trajetória profissional, o grupo Samba Chula de São Braz conta com participações em shows e programas de TV ao lado de artistas como Roberto Mendes, Raimundo Sodré, Maria Bethania, Gilberto Gil, Regina Casé, Antonio Nóbrega, tendo feito também apresentações musicais em São Paulo (SESCs e ITAU Cultural), Goiás e várias cidades da Bahia (Salvador, Recôncavo, Ilhéus, Jequié). O mais recente reconhecimento do trabalho deste grupo foi terem sido contemplados pela FUNARTE com o Premio Pixinguinha 2008, que resultou na gravação do seu primeiro CD “Quando dou minha risada, há, há...”, lançado em 2009 pela Plataforma de Lançamento.


2 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Vc sabe que Santo Amaro vive em seus dias, mesmo quando longe, quando muito longe.

Chorik disse...

Puxa, como aprendi com esse post! Um dia quero conhecer tua Santo Amaro.
Abraços, Edu.