terça-feira, 22 de dezembro de 2009

O sucesso do microondas

Pensei que tudo ia para os ares. Imaginei o prédio subindo, se distanciando da terra como imagem de desenho animado. Gargalhava ao mesmo tempo em que rezava, pedindo para a explosão não acontecer naqueles poucos minutos que o relógio contava em ordem decrescente. O microondas não foi com a minha cara. Nunca usei esse troço, mas sei que há o perigo de explodir tudo. Eu apertava botão 24h/12h/700wtz/800wtz... abria porta, acendia luzinha, fechava porta, apagava luzinha e eu morrendo de medo de alguém entrar na cozinha e constatar minha tabaroice.

O alojamento não explodiu, eu comi as bordas quentes, o meio frio e ri do menino que fazia bolachinhas na casa de andares da Rua C.

6 comentários:

clenio disse...

kkkkkkkkkkkkkk
adorei tabaroice
oh pai
vc é demais

Chorik disse...

Bem se vê que vc não sobreviveria aqui em casa.

Bernardo Guimarães disse...

eu não quero um bagulho desse em minha casa nem fudeno!

maria guimarães sampaio disse...

eu tenho agá - ó - rê - ô - rô a esse tale de microondas. Prefiro ser tabaroa (já passei dois adiante)

Gerana Damulakis disse...

Que bom que nos conhecemos. A imagem está na minha cabeceira.Ficou linda, diga para sua mãe.
Eu dei um beijo real de Feliz Natal. Mando agora um virtual: beijo.

I.Moniz Pacheco disse...

Esse troçoio é até útil, sobretudo pra pessoas como eu, analfa em termos culinários: é só apertar os botões e o rango está pronto!