terça-feira, 21 de outubro de 2008

A palavra pode camuflar

Há algum tempo não apareço por aqui para comunicar minhas coisas, refletir, externar sentimentos.

Acabei de chegar em São Paulo, minha cidade amada, meu lugar no mundo depois de Santo Amaro. Vim após uma passagem pelo Rio para participar, a convite do MINC e da FIOCRUZ, da Oficina Nacional de indicação de Políticas Públicas Culturais para Inclusão de de Pessoas com Deficiência. Momento importante para reflexões sobre a arte-cultura produzida por, para e com pessoas com (d)eficiência. Avançamos em alguns aspectos, mas me preocupa outros tantos em que percebo que não há avanço algum e preciso de mais tempo para articular o pensamento com as informações adquiridas.

Fiquei muito feliz pelo convite e pela minha participação no evento e pelo tamanho desse sentimento me furtarei a externar qualquer coisa, porque como disse a mestra Angel Vianna "a palavra pode camuflar" e essa frase me fez sentir a responsabilidade do encontro, onde tantas palavras foram jogadas ao universo junto a tantas intenções.

Mando um beijo especial a tia Maria, saudade desses momentos virtuais onde aprendo tanto com suas palavras-imagens.

2 comentários:

Bernardo Guimarães disse...

Ôba!
de volta e de roupa nova! Bacaninha!
Sentimos falta.

maria guimarães sampaio disse...

aê, Edu, meu viajante do coração. Nós dois é uma aprendendo com o outro e "quanto mais a gente ensina mais aprende o que ensinou". Feliz por mais essa, aí em sunpálo! Sua tia Maria