quinta-feira, 19 de junho de 2008

O disfarce do passado

Olha pro céu, meu amor
Vê como ele está lindo!!!

Chorei ouvindo essa música na saída do casamento de minha irmã. Chorei ao ver tantos amigos, tanto carinho... Chorei lembrando de meu sobrinho que vem vindo, de meu avô que já foi. Chorei pela alegria gritante de minha mãe que nunca mais tinha demonstrado tanta alegria, dançando até 4 horas da manhã, rindo, feliz. FELIZ!!!! Era por isso que eu chorava... porque quero ver minha irmã feliz com sua família, quero minha mãe feliz, eu quero ser feliz.

Foi numa noite igual a esta
Que tu me deste o teu coração

A cerimônia do casamento (casamento na roça de mentira, que mais era de verdade) na praça da Rocinha, lugar lindo, interior no interior de Sto Amaro, foi a mais bela que já vi. Os noivos LINDOS como se espera de um casamento, minha irmã nervosa pelas ruas de Sto Amaro como quem entra deslumbrante pela Purificação. O noivo nervoso bebia pelo enlace matrimonial. A avó do noivo dourada de contentamento. O Pai da noiva, que era um tio, tio Jorge e seu celular ultra-mega-moderno. Minha mãe (linda) e a mãe do noivo, o pai do noivo, o Padre Aldinho com a sacristã Makiba, os guardas-de-honra Coeli e Kikiki, o anjo Ed, Paula mulher traída com sua filha Cléa, os padrinhos que foram tantos que prefiro não enumerar para não cometer a indelicadeza de esquecer algum e tantos convidados, tantos olhos brilhando, tantos sorrisos, tantas cantigas bonitas, assustando a noiva quando viu de cima a quantidade de gente que seguia seu cortejo.
O céu estava
todinho em festa
pois era noite de São João
Circulamos parte da Rua Direita, passando pela Rua do Amparo para receber a benção de meu avô (aquele do início da estória). E teve homenagem da cantora-amiga que se apresentava no palco e teve foto no adro da igreja para Nossa Senhora abençoar e teve trio nordestino acompanhando esse furdunço todo até o fim da festa.
Cheguei hoje dessa viagem linda, dessa viagem de tanta felicidade, com gosto gostoso do licor e das comidas muitas que nos fartaram e me trouxeram gostos de minha infância, de minha avó Zinha, de meu passado delicioso que permanece assim disfarçado de presente.

8 comentários:

caco disse...

que casamento lindo!!! eu até fui!

maria guimarães sampaio disse...

eu não fui mas aqui lendo faço de conta que fui.
Beijos mis para a família toda eespecialmente para o bebê a caminho, vida Rudá!
Maria

Sem bastão hoje!rs disse...

Já chorei com seu avô,Santo Amaro,em um São João!
Pra alguns eu estava chorando pq estava bêbada...Talvez só eu e uns poucos estivessem ouvindo o que seu avô dizia!Não sei...Só sei que seu avô conseguiu me fazer chorar no meio de tanta festa e alegria!
Beijo!

clênio disse...

meu deus que coisa mais linda!
consegui imaginar cada gota destes licores, cada gota destas lágrimas em cada gota de saliva que engoli seco de saudade aqui nesta fria sala universitária.
lembrei-me das gargalhadas, das palhaçadas, das cachaçadas, das maravilhas que vivi ao lado deste povo abençoado. senti-me um pouco órfão depois do texto do meu irmãozinho querido. senti-me desnaturado como quem não vai ao casório da irmã. confesso.
espero que meus irmãos entendam. que minha mãetia dinorah guarde um pouco da sua alegria para compartilhar comigo quando eu chegar. que santo amaro receba com carinho o pó que trago nos meus sapatos.
felicidades aos noivos
que o felizardo filho da prima da irmã da minha professora de ioga venha participar de toda esta loucura de felicidades que já se instalou no meio deste povo que dança, bebe, chora, ri, canta e faz arte até com os segundos.
saudades sempre.

MqV disse...

Obrigado, Du! Muito obrigado! Permita-me a ousadia de agradecer como sei: http://monologosnamadrugada.blogspot.com/

Josaine disse...

Ave Mariaaaaa,
e eu perdi issu tudu????

Deu uma saudadeeeeeeeeeee do interior, da roca, da beleza da simplicidade das coisas.
Vc me fez viajar e por isso tambem que te amo.

De um beijasso nessas mulheres maravilhosas por mim.
E um enorme pra vc tb

She disse...

Quanta saudade, me transportei imediatamente p/ tantos momentos lindos que só quem viveu sabe.

Vovô heim?! Eu é que bem lembro (Irrrrrma) rsrsrs

A felicidade de tia, que maravilha!!!!

E o novo casal, a nova família. Toda felicidade do mundo.

Migo, obrigada. Foi tão bom ter lido esse texto, senti uma saudade boa de tantas coisas boas, de tantos São João.

Que bom que a festa foi tão linda, que vontade de ter ido.

AMO VCS SEMPRE!!!!

Cate disse...

Pro casamento, não fui... Perdi e pude sentir na pele o que perdi porque tive o melhor São Pedro da minha vida! Disse e repito: sinto inveja boa do povo que nasceu em Santo Amaro! Talvez sinta isso porque conheci a cidade pelos melhores olhares - os da família Oliveira (Dinorá, Du e Pá)- obrigada por este presente! O que posso dizer é que estive com os 5 cinco sentidos aguçados e felizes nos dias que passamos juntos e agora mais ainda recriando o casamento que perdi. Sinto o cheiro da fumaça das inúmeras fogueiras pelas ruas e principalmente a de Maquiba, o gosto da boa comida do Brás e de Lurdinha, revejo o colorido da nossa praça na Rocinha, o abraço de Xangô e sou ainda capaz de cantarolar a famosa "Tuninha" e "Chuvinha" que só quem ouve Makiba cantar é que sabe! Perdi o casamento, mas pude estar na lua-de-mel! Obrigada por ter sido recebida tão bem e por já me senti santamarense em tão pouco tempo! Quero voltar logo... Vamos sambar! Beijo meu amor! E um muito especial para mais uma pessoa linda dessa família maravilhosa - RUDÁ!